Receita Federal inaugura novo prédio em Santa Cruz do Sul nesta quarta
capa

Receita Federal inaugura novo prédio em Santa Cruz do Sul nesta quarta

Atendimento já se desenvolve no local desde o dia 8 de outubro.

Por
Otto Tesche

Prédio conta com sete andares, subsolo e 49 vagas de estacionamento, em uma área de 6.890,95 metros quadrados

publicidade

A Receita Federal inaugura oficialmente, nesta quarta-feira, o novo prédio da unidade em Santa Cruz do Sul. A programação será junto ao novo endereço, na rua Gaspar Silveira Martins. A solenidade será aberta à comunidade, com um ato cívico, pronunciamento, corte da fita e visita pelas instalações. O atendimento já se desenvolve no local desde o dia 8 de outubro.

Orçada em R$ 23,7 milhões, a obra teve a pedra fundamental lançada no dia 29 de abril de 2014 e foi entregue oficialmente à Receita Federal no último dia 28 de setembro, quando teve início a mudança do antigo endereço, na rua Felipe Jacobus, para a nova estrutura. Com sete andares, subsolo e estacionamento, o prédio tem área total de 6.890,95 metros quadrados e 49 vagas de estacionamento. A unidade de Santa Cruz do Sul abrange 69 municípios dos vales do Rio Pardo, Taquari e Caí, e abrigará também a Procuradoria da Fazenda Nacional.

O delegado da Receita Federal, auditor fiscal Leomar Padilha, explica que a nova sede demonstra a importância que Santa Cruz do Sul tem no cenário econômico. “A cidade é extremamente organizada, muito bem apresentada. Seu acesso (o Grasel) é um destaque e esse novo prédio, também na entrada da cidade, demonstra o quanto é bonita e moderna.” Além disso, Padilha reforça que o novo empreendimento é extremamente funcional, moderno, confortável e sustentável, e vai trazer grande conforto para os contribuintes, bem como adequação para os servidores.

A reclassificação da unidade local, de delegacia para agência da Receita Federal, confirmada no fim de julho, pelo superintendente da Receita, na 10ª Região Fiscal, Luiz Fernando Lorenzi, deve ocorrer a partir de janeiro do próximo ano. Os serviços prestados ao público, no entanto, irão se manter. Apenas a gestão de trabalho será executada por outras unidades. “O público poderá solicitar os mesmos procedimentos que já vem solicitando”, explica o delegado Leomar Padilha.