Reunião busca soluções para reduzir mortes e acidentes na ERS 239 nesta quinta-feira

Reunião busca soluções para reduzir mortes e acidentes na ERS 239 nesta quinta-feira

A rodovia já contabiliza 14 óbitos desde o início do ano

Stephany Sander

Rodovia possui 132 quilômetros e cruza 12 municípios

publicidade

Prefeitos do Vale do Sinos e Paranhana se reúnem nesta quinta-feira com representantes do governo do Estados para mais uma vez, buscar soluções para diminuir os acidentes e as mortes na ERS 239. Pelo Estado, participarão o secretário de Transportes do Estado, Juvir Costella; o diretor-presidente da EGR, Urbano Schmitt; e o comandante rodoviário da Brigada Militar, tenente-coronel, Luciano Moritz Buenol. A reunião será conduzida pelo presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (Amvars), prefeito de Campo Bom, Luciano Orsi, e também contará com a presença do presidente da Associação dos Municípios do Vale do Paranhana (Ampara), prefeito de Parobé, Diego Picucha.

A rodovia já contabiliza 14 mortes em acidentes desde o começo do ano. Com 132 quilômetros e cruzando 12 municípios, o trecho mais crítico, com mais acidentes e vítimas fatais, está localizado entre Sapiranga e Parobé. Por isso, o prefeito de Parobé, Diego Picucha, e a prefeita de Sapiranga, Carina Nath, já apresentaram reivindicações à EGR, que delegou estudos sobre melhorias ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), mas até o momento nenhuma decisão foi anunciada.

Segundo o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), que possui um posto no trecho entre Campo Bom e Sapiranga, a principal causa dos acidentes fatais é a imprudência dos motoristas. Mas problemas de sinalização, falta de controladores de velocidade e a quantidade de retornos são apontados como agravantes.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895