Rodoviários entram em estado de greve por 72 horas em Canoas

Rodoviários entram em estado de greve por 72 horas em Canoas

Paralisação foi definida em assembleia no último sábado

Fernanda Bassôa

Mais de 400 trabalhadores rodoviários de Canoas aderiram ao estado de greve

publicidade

Mais de 400 trabalhadores rodoviários de Canoas aderiram ao estado de greve, pelo período de 72 horas, a partir desta segunda-feira em razão do não pagamento do13º salário, horas extras, parte do vale-alimentação e do salário referente a novembro. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Canoas (SITROCAN), Marcelo Nunes, diz que há dívidas atrasadas desde fevereiro e que a paralisação foi definida em assembleia que aconteceu no último sábado.

“Em respeito ao trabalhador, atendemos a população até as 8h30min desta segunda-feira. Depois disso, fizemos um ato com a parada dos veículos e voltamos a atender com frota reduzida. Durante toda a tarde permaneceremos parados e voltamos a circular no final da tarde, entre 17h e 17h30min, para deslocar o trabalhador para casa.”

Nunes garante que se não houver diálogo com os trabalhadores ou apresentação de proposta no período de 72 horas, os rodoviários vão paralisar 100% os serviços, sem previsão de retorno. “O salário de novembro, que era para ter sido pago no dia 1º, ainda não foi depositado. Quanto ao 13º salário, não há qualquer tipo de sinalização. O trabalhador não vai mais trabalhar sem receber”, disse o presidente do Sindicato, que aguarda mediação com o Ministério Público.

A Prefeitura de Canoas, que não deve intervir na situação, informou que a empresa alega que o agravamento da crise foi motivado pelo coronavírus. Diretores da empresa Sogal (Sociedade de Ônibus Gaúcha Ltda) foram procurados, mas ainda não se manifestaram oficialmente sobre o caso.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895