São Borja registra dobro de mortes de idosos no ano por conta de onda de calor

São Borja registra dobro de mortes de idosos no ano por conta de onda de calor

Cidade confirmou 60 óbitos por complicações das altas temperaturas, contra 30 em 2021

Correio do Povo

Hospital orienta para importância de locais arejados e hidratação

publicidade

A prefeitura de São Borja monitora um aumento expressivo de morte de idosos em decorrência de complicações de calor intenso no município. Conforme levantamento hospitalar, são 60 óbitos em 2022, contra 30 no ano passado. Ou seja, os óbitos duplicaram enquanto o Rio Grande do Sul enfrentou quase duas semanas de onda de calor.

A Secretaria de Desenvolvimento Social, segundo comunicado, realiza o monitoramento dos casos envolvendo a saúde e bem-estar dos idosos no município. Conforme o órgão, devido à onda de calor e à baixa umidade do ar, o risco de desidratação e problemas respiratórios, como falta de ar e agravo de possíveis casos de bronquite, vem aumentando.

“Sabemos que o calor intenso exige cuidados redobrados. Desde que decretamos situação de emergência do município, devido à estiagem, estamos monitorando. As equipes estão preparadas para, dentro do possível, buscar proporcionar melhores condições a quem precisa", relatou o prefeito Eduardo Bonotto.

As ações contam com o auxílio da Secretaria de Educação, além disso, o poder público segue em monitoramento e em contato com as equipes do Hospital Ivan Goulart (HIG). Conforme a administradora do hospital, Fernanda Bonotto, um aumento no número de óbitos no HIG foi constatado a partir do dia 21 de janeiro. Conforme o HIG, parte das mortes é de pacientes com comorbidades, como hipertensão e diabetes, paralelamente atribuídas ao efeito colateral do calor. “Percebemos que, para cerca de 70%, o calor teve fator de descompensação e gravidade dos pacientes que chegaram”, informou Fernanda.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895