São Leopoldo realiza 1º Para Pet neste sábado

São Leopoldo realiza 1º Para Pet neste sábado

Evento visa incentivar a adoção responsável de cães com deficiência

Correio do Povo

Dos mais de 300 animais que são tutelados pelo Canil Municipal, 53 cães têm uma ou mais deficiências

publicidade

A Secretaria de Proteção Animal de São Leopoldo (Sempa) realiza, neste sábado, o 1º Parapet, evento para incentivo a adoção responsável de cães com deficiência do Canil Municipal. O evento ocorre das 10h às 17h, na rua Marquês do Herval, entre a avenida João Correia e a rua Florêncio Câmara. De acordo com o secretário Walter Leo Verbist, é a primeira vez que ocorrerá um evento no Rio Grande do Sul e no Brasil com foco na adoção e nas adaptações para melhor qualidade de vida dos animais.

Dos mais de 300 animais que são tutelados pelo Canil Municipal, 53 cães têm uma ou mais deficiências. Além de enfrentar a superlotação, os bichinhos também se deparam com a dificuldade em encontrar um lar por causa das características que os tornam únicos como a cegueira, a surdez, a paralisia, a amputação ou a idade avançada.

Por promover a inclusão, a acessibilidade do local do evento também está sendo providenciada para atender seres humanos e não humanos. “A gente está trazendo o pessoal da Aldef (Associação Leopoldense de Deficientes) junto justamente para pensar nos acessos, havendo inclusive banheiro químico adaptado”, conta o secretário que também é presidente do Conselho Municipal de Proteção e Bem-Estar Animal (ComBem).

Um dos idealizadores do ParaPet, Mauro Winckler ,da Central Animal Pet, esclarece que um dos objetivos do evento também é desestimular a eutanásia. “Ninguém está livre de uma hora para outra acontecer um acidente com um animal ou com uma pessoa. Quando esse animal se acidenta, o tutor chega no veterinário dizendo ‘não posso ver ele (o cão) sofrendo, isso aqui me faz mal’. Só que ele quer que o profissional dê a possibilidade da eutanásia pois aí não foi uma decisão do tutor. O médico veterinário por sua vez vai tentar tratar, mas o animal não vai voltar ao que era antes e pensa ‘o tutor vai ficar brabo comigo, é melhor fazer a eutanásia’. Queremos mostrar pros dois lados que não se faz uma coisa assim sem antes tentar de tudo antes. É preciso estar aberto às mudanças”, explica Winckler.

Além da apresentação de cães do Canil, haverá brinquedos do Sesc, bolhas de sabão gigante, feira de artesanato, shows, oficinas para confecção de cadeiras de rodas, palestra sobre adestramento e plantas tóxicas para cães e um painel para desmistificar os cuidados ao cão com deficiência.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895