Salles autoriza publicação de edital de concessão da Flona de Canela

Salles autoriza publicação de edital de concessão da Flona de Canela

Ministro do Meio Ambiente esteve na Serra nesta quinta-feira para assinar a autorização

Halder Ramos

Conforme Salles, a agenda de concessões busca fomentar o ecoturismo em parques nacionais

publicidade

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, esteve na Serra Gaúcha nesta quinta-feira, e assinou uma autorização para publicação do edital de concessão da Unidade de Conservação Floresta Nacional (Flona) de Canela. O ministro anunciou que o edital deve ser lançado nesta sexta-feira, mas não deu detalhes sobre os valores que envolvem a concessão. O anúncio foi realizado na própria unidade de Canela. Com área de 557 hectares, a Floresta Nacional de Canela fica a 6,4 quilômetros de distância do Centro.

O projeto integra o programa de concessões do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Além de Canela, o modelo de parcerias para investimentos prevê a privatização da Floresta Nacional de São Francisco de Paula, que deve ter edital publicado em breve, e dos parques Aparados da Serra e Serra Geral, em Cambará do Sul. Estão previstos investimentos de mais de R$ 9 milhões em infraestrutura e R$ 84 milhões em despesas operacionais.

Conforme Salles, a agenda de concessões busca fomentar o ecoturismo em parques nacionais e outros tipos de unidades de conservação federais, além de permitir o desenvolvimento de várias alternativas para o turismo. Os investidores terão obrigações, como o monitoramento e manejo da fauna, a manutenção da brigada de incêndio da unidade e a realização de serviços essenciais de limpeza e manutenção da infraestrutura.

“Você tem mais estrutura, por exemplo, de alimentação, restaurantes, trilhas que vão ser abertas e demarcadas, outras atividades de ecoturismo. Ao mesmo tempo, para a cidade, é um polo de atração de empregos. Toda vez que o turismo é incrementado, ele é aumentado, criam-se mais empregos”, afirma o ministro.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895