Subestação de energia da Creluz entra em fase de testes em Pinhal

Subestação de energia da Creluz entra em fase de testes em Pinhal

O complexo tem capacidade máxima de 50 MW, sendo uma das maiores subestações do interior gaúcho atualmente

Agostinho Piovesan

A subestação beneficiará 70 por centro dos associados espalhados em 36 municípios

publicidade

Entra em fase de teste nesta quinta-feira, a subestação da Cooperativa de Geração e Distribuição de Energia (Grupo Creluz), construída em Pinhal, no Norte do Estado, e que atenderá 17 dos 36 municípios da área de atuação da instituição. A estrutura beneficiará 70% dos 24 mil associados das microrregiões do Médio Uruguai e Celeiro.

Segundo o presidente da Creluz, Elemar Battisti, o complexo tem uma capacidade máxima de 50 MW sendo uma das maiores subestações do interior gaúcho na atualidade e recebe energia em alta tensão da Usina Foz do Chapecó, em Alpestre, através de um linhão que liga Planalto a Constantina.

“O investimento total na subestação supera a marca R$ 22,5 milhões, sendo o maior investimento da Creluz na sua história em um único projeto e representa um marco para o desenvolvimento do norte gaúcho”, observa.

Battisti disse que a subestação localizada na Linha Pitol, próximo da cidade de Pinhal, foi projetada para atender a demanda de energia da região no presente e também para o futuro, sendo totalmente operada a distância através de fibra ótica via telecomando, seguindo os altos padrões das engenharias elétrica e civil. A subestação além de levar o nome do município sede da cooperativa, também homenageia em memória o associado Augusto Moro, que passou a residir em Pinhal em 1946, na área de terra onde hoje o complexo está situado.

A Creluz informou que a subestação é uma parte de um sistema de potência instalada em um local onde tem os equipamentos como transformadores de grande porte, chaves, disjuntores e religadores, entre outros, a mesma tem como principal função transformar a energia de uma tensão para outro nível podendo ser maior ou menor. No caso da Subestação da Creluz a transformação é de 138.000 Volts para 23.800 Volts, que é chamando de Subestação rebaixadora.

As mesmas são fundamentais nos sistemas elétricos para aumentar a disponibilidade de energia nas regiões que estão instaladas, bem como, a qualidade de energia juntamente com a redução de faltas e falhas no fornecimento de energia, entre outras vantagens.

Localização

Pinhal, sede da Creluz, foi escolhido o município para sediar o empreendimento, pois, além da proximidade para manutenção e operação da mesma, que fica no centro da carga da Cooperativa, apresenta condições muito favoráveis para a instalação de uma subestação. A área onde está sendo instalada a Subestação Pinhal Augusto Moro é de aproximadamente 15.000 metros quadrados.

O Departamento Técnico da cooperativa informou que a capacidade de transformação e distribuição de energia da Subestação Pinhal Augusto Moro é de até 50 MW em média, o que daria para abastecer uma população de aproximadamente 150 mil pessoas.

A subestação irá beneficiar os seguintes municípios: Dois Irmãos das Missões, Erval Seco, Boa Vista das Missões, Jaboticaba, Cerro Grande, Lajeado do Bugre, Sagrada Família, São Pedro das Missões, Novo Tiradentes, Pinhal, Rodeio Bonito, Seberi, Liberato Salzano, Cristal do Sul, Palmeira das Missões, Frederico Westphalen e Ametista do Sul.

As obras iniciaram em fevereiro de 2019. Foram três etapas do projeto: civil, eletromecânica e elétrica. Na avaliação da direção da Creluz esta obra coloca a região em outro patamar se tratando de infraestrutura de sistema elétrico. 

“Com a Subestação Pinhal Augusto Moro, a nossa região contará com um sistema elétrico mais robusto e totalmente preparado para entregar aos associados energia com mais qualidade, segurança e confiabilidade. A disponibilidade de carga é outro ponto fundamental que facilitará a entrada de novos investimentos de qualquer porte nos municípios por ela atendidos”, observa Battisti. O ato solene de inauguração será em abril de 2021, no mês em que a Creluz completará 55 anos de fundação.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895