Tradicionalistas e criadores de cavalos de Santa Cruz do Sul querem reduzir o custo da GTA
capa

Tradicionalistas e criadores de cavalos de Santa Cruz do Sul querem reduzir o custo da GTA

O alto custo causou a redução na participação de cavaleiros e amazonas em eventos no município

Por
Otto Tesche

publicidade

Lideranças de entidades tradicionalistas e de criadores de cavalos de Santa Cruz do Sul querem reduzir as despesas para a obtenção da Guia de Trânsito de Animais (GTA), que deve ser precedida da vacina contra influenza equina e exames de mormo e anemia. O alto custo causou a redução na participação de cavaleiros e amazonas em eventos no município. O valor pode chegar a R$ 200,00, com validade de seis meses. Para fora do Estado, a validade é de apenas dois meses.

O patrão do Piquete Regional da OAB/RS e coordenador do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos (NCCC) de Santa Cruz do Sul, Tibicuera Menna Barreto de Almeida, entregou um documento aos vereadores para alertar sobre o problema. “Precisamos de subsídios públicos para reduzir os custos. Nos últimos três anos, a queda foi de 60% no número de pessoas que desfilaram a cavalo no 20 de Setembro. Também afeta a participação em rodeios, exposições e competições”, destaca Almeida.

Coordenador do curso de Medicina Veterinária da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Andréas Köhler explica que haverá um laboratório para exames no hospital veterinário, em Linha Pinheiral, com inauguração prevista para março de 2020. Porém, o preço será semelhante ao que é praticado no mercado. A solução, segundo ele, seria um subsídio da Prefeitura. O secretário de Agricultura, Elo Schneiders, vai se reunir com os tradicionalistas nesta segunda-feira para tratar do assunto, com a presença de profissionais da secretaria. “Queremos avançar em algum sentido, buscar uma solução para o problema”, afirma.