Uruguaiana inaugura CRAM, centro de referência para mulheres
capa

Uruguaiana inaugura CRAM, centro de referência para mulheres

Local tentará garantir integridade e segurança de vítimas de violência

Por
Fred Marcovici


publicidade

Foi Inaugurado nesta sexta-feira o CRAM (Centro de Referência em Atendimento à Mulher de Uruguaiana), contando com a participação do prefeito Ronnie Mello, dos secretários de Desenvolvimento Social e Habitação, Soraya Salomão e Luiz Menezes, da delegada titular da DEAM – Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – Caroline Huber, do promotor Vitassir Ferrareze, da juíza da 2ª Vara Criminal, Cristiana Acosta Machado, do presidente da Câmara de Vereadores, Irani Fernandes, e da vereadora Zulma Ancinello.

A unidade passou a funcionar na sede da própria secretaria, rua Dr. Maia, centro da cidade, em espaço adequado para atender a demanda social dos casos. De acordo com a secretária Soraya Salomão este é um serviço de atenção especial não só para as mulheres, mas também para os filhos do casal em desagregação, quando necessário. Conforme o prefeito Ronnie Mello, o CRAM servirá como suporte no processo usualmente conflitado.

“Como objetivos gerais, o serviço deve garantir a integridade física e psicológica das mulheres em risco de morte e de seus filhos, promovendo ainda o exercício dos direitos da sua cidadania, de modo a contribuir para o resgate e fortalecimento da sua autoestima.  Já entre os objetivos específicos, o serviço visa proteger mulheres e prevenir a continuidade de situações de violência; propiciar condições de segurança física e emocional; identificar situações de violência e suas causas originais e produzir dados para o sistema de vigilância socioassistencial; assegurar atendimento integral e interdisciplinar às mulheres e aos filhos, em especial nas áreas psicológica, social e jurídica”, listou o Prefeito.

A delegada Caroline Huber, durante o evento, anunciou a redução, no último trimestre, em 30% no número de casos de violência contra a mulher – o que ela ao mesmo tempo que avaliou como um avanço o quadro pode estar encobrindo subnotificações por submissão ou temor. Também divulgou que em decorrência da pandemia do novo coronavírus a Polícia Civil disponibilizou canais da DP on-line também para mulheres denunciarem qualquer tipo de violência doméstica.


“É importante que possam a partir de então fazer os relatos por meio da internet”, diz. O município registra em média 150 ocorrência mensais. O Centro presta homenagem à memória da 1ª tenente da Brigada Militar, Cleuza de Fátima Alves Serafin, a primeira policial militar a trabalhar na PM de Uruguaiana, na década de 1990.