Bolsonaro sanciona lei e libera R$ 5 bilhões a pequenas empresas

Bolsonaro sanciona lei e libera R$ 5 bilhões a pequenas empresas

Decisão torna permanente programa criado para auxiliar empresas de pequeno porte

R7

Programa deve conceder R$ 5 bilhões a pequenas empresas

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a lei 13.999, que torna o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) permanente. O texto aprovado pelo Congresso Nacional foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) nesta sexta-feira e ofertará R$ 5 bilhões para as companhias participantes em 2021.

Criado em meio à pandemia do novo coronavírus para oferecer crédito às micro e pequenas empresas, o programa já concedeu mais de R$ 37 bilhões a Microempresários Individuais (MEIs), Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. De acordo com o texto publicado, a decisão visa "consolidar os pequenos negócios como agentes de sustentação, de transformação e de desenvolvimento da economia nacional".

As instituições financeiras participantes poderão formalizar operações de crédito com taxa de juros anual máxima igual Selic, definida pelo Banco Central (BC) a cada 45 dias, com o acréscimo de 1,25% para as concessões firmadas até 31 de dezembro de 2020. Também fica autorizada a definição de Selic+6% sobre o valor concedido, para as operações concedidas a partir de 1º de janeiro de 2021.

A proposta para tornar o Pronampe permanente, de autoria do senador Jorginho Mello (PL-SC), autoriza a União a aumentar sua participação no Fundo Garantidor de Operações (FGO) para a concessão de garantias no âmbito do programa.

“Foram cerca de R$ 37,5 bilhões de crédito ofertado a mais de 470 mil empresas no Brasil todo, um enorme sucesso", afirmou Jorginho ao defender a proposta. "O Pronampe, sem sombra de dúvida, salvou milhares de empresas e, automaticamente, milhares de empregos. Agora, queremos postergar um programa de crédito que foi fantástico”, completou ele.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895