Dólar tem maior queda em quase dois meses e bolsa bate recorde
capa

Dólar tem maior queda em quase dois meses e bolsa bate recorde

Reforma da Previdência e cenário externo contribuíram para desempenho

Por
Agência Brasil

Dólar fechou em R$ 4,07, puxado pela aprovação do texto-base da Reforma da Previdência

publicidade

No dia em que o Senado aprovou o texto-base da reforma da Previdência em segundo turno, o dólar teve a maior queda em quase dois meses, e a bolsa de valores voltou a bater recorde. O dólar comercial fechou esta terça-feira (22) vendido a R$ 4,076. Esse foi o maior recuo para um dia desde 4 de setembro, quando a divisa tinha caído 1,79%.

No mercado de ações, o dia foi de euforia. Depois de bater recorde ontem (21), o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou o dia aos 107.381 pontos, com alta de 1,28%.

A bolsa operou em alta; e o dólar, em queda, durante toda a sessão. No entanto, depois da aprovação da reforma da Previdência em segundo turno na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, no fim da manhã, os investidores aumentaram o otimismo.

O texto principal da reforma da Previdência foi discutido e aprovado no Plenário do Senado no início da noite desta terça-feira. Agora, a Casa votará quatro destaques.

No cenário externo, a sessão foi marcada pelo alívio nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China. O vice-ministro das Relações Exteriores do país asiático disse hoje que as negociações com o governo do presidente Donald Trump estão avançando.