Veja a lista de auxiliares de Paulo Guedes que já pediram exoneração

Veja a lista de auxiliares de Paulo Guedes que já pediram exoneração

Após conflito sobre teto de gastos, mais quatro auxiliares de Guedes deixaram seus cargos nesta quinta-feira

R7

Quatro auxiliares pediram para deixar o governo nesta quinta-feira

publicidade

Depois de adimitir a possibilidade de "driblar" o teto de gastos, o ministro da Economia, Paulo Guedes viu quatro auxiliares pediram para deixar seus cargos na pasta nesta quinta-feira. O secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), José Mauro Coelho, pediu demissão do cargo. O secretário especial de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, pediu para deixar o posto nesta quinta-feira após o governo anunciar a criação do Auxílio Emergencial com parte dos pagamentos fora do teto. O secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, também pediu exoneração 

Além dos mais recentes, o ministro já viu outros colegas deixarem a equipe. Ex-assessora especial do Ministério da Economia com foco na reforma tributária, a advogada Vanessa Canado deixou o cargo em abril. O ex-secretário de Orçamento Federal, George Soares, também deixou o cargo neste mês. 

Waldery Rodrigues saiu do cargo de secretário especial da Fazenda em abril. Segundo ele, o pedido para sair foi feito ainda em dezembro de 2020. O ex-presidente do Banco do Brasil, André Brandão, entregou o cargo em março. O ex-presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, deixou o cargo em março. 

Paulo Uebel deixou o cargo de secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital em agosto de 2020 depois do atraso do governo no envio da reforma administrativa ao Congresso Nacional. Salim Mattar, ex-secretário de Desestatização do Ministério da Economia, deixou o cargo em agosto de 2020. 

Mansueto Almeida deixou a Secretaria Especial do Tesouro Nacional em julho de 2020. Rubem Novaes pediu demissão da presidência do Banco do Brasil em julho de 2020. Caio Megale deixou o cargo de diretor de Programas da Secretaria Especial de Fazenda em julho de 2020. 

Marcos Troyjo deixou o cargo de secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais em junho de 2020. Marcos Cintra foi exonerado do cargo de secretário da Receita Federal em setembro de 2019 após levantar a bandeira de um imposto sobre transações financeiras nos moldes da antiga CPMF. O ex-ministro da Fazenda no governo Dilma, Joaquim Levy, ficou no cargo de presidente do BNDES até junho de 2019.

Veja Também


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895