Decreto autoriza retorno das aulas presenciais em Porto Alegre

Decreto autoriza retorno das aulas presenciais em Porto Alegre

Na próxima segunda-feira, turmas do ensino fundamental e EJA podem retornar às escolas municipais

Correio do Povo

Porto Alegre poderá retomar aulas presenciais na próxima segunda

publicidade

A prefeitura de Porto Alegre publicou, nesta sexta-feira, o decreto 20.761, que autoriza o retorno das aulas presenciais nas escolas públicas e privadas da capital gaúcha. A retomada ocorre devido à segunda semana consecutiva presente com a bandeira laranja dentro do modelo do Distanciamento Controlado do Governo Estadual e será realizada conforme calendário divulgado pela Secretaria Municipal da Educação (Smed). 

Já na próxima segunda-feira, dia 19, as turmas do ensino fundamental 1, especial e EJA (ensino municipal) podem retornar às escolas. No dia 3 de novembro, é a vez do ensino fundamental 2, especial, primeiro e segundo anos do ensino médio e atividades de contraturno. Permanecem suspensas as aulas do ensino superior, em estabelecimentos públicos e privados, e de ensino em geral, como cursos de idiomas, esportes, artes, culinária e similares. 

Até 82.515 alunos das redes públicas e privada poderão comparecer às escolas. As instituições deverão seguir os protocolos de combate e prevenção à Covid-19 publicados no decreto 20.747. 

O decreto também permite que familiares sentem agrupados em missas, cultos e similares.

Sete meses sem aulas 

Foram sete meses sem aulas devido à pandemia causada pelo novo coronavírus. O retorno das aulas e atividades nas escolas está sendo realizada gradativamente na capital gaúcha. Na educação infantil, a alimentação e demais ações de apoio já haviam sido retomadas em 28 de setembro. No dia 5 de outubro, foi autorizada a volta de educação infantil, 3º ano do ensino médio, educação profissional e EJA. 

Na sequência do cronograma, no dia 13 de outubro, recomeçaram a alimentação para todas as outras escolas e as atividades de apoio dos ensinos fundamental, médio e especial. 

Veja Também

Greve sanitária

Para a próxima segunda-feira também está marcada o início da greve sanitária decretada pelos professores municipais. A paralisação, que tem tempo indeterminado, foi decidida em assembleia nesta semana, em protesto contra a retomada das atividades presenciais nas escola. 

As Prefeitura afirma que instituições da rede municipal de ensino receberam R$ 2,5 milhões como verba extra para aquisição de materiais de proteção contra o coronavírus. O município também afirma que manteve os repasses trimestrais em sua totalidade, mesmo sem atividades letivas – um recurso de R$ 9.448.685,61 ao longo do ano. 

Um primeiro lote de termômetros digitais de testa, sendo pelo menos um para cada instituição, foi encaminhado na semana pasada. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895