Ministério da Saúde determina reserva de vacinas da AstraZeneca para aplicação da segunda dose

Ministério da Saúde determina reserva de vacinas da AstraZeneca para aplicação da segunda dose

Medida forçou o cancelamento da distribuição dos imunizantes no Rio Grande do Sul

Correio do Povo

Medida forçou o cancelamento da distribuição dos imunizantes no Rio Grande do Sul

publicidade

A partir de uma nova determinação do Ministério da Saúde, o governo do Rio Grande do Sul cancelou nesta sexta-feira a distribuição de 243.400 doses da AstraZeneca para os municípios gaúchos. O governo federal ordenou que as vacinas sejam reservadas, de forma integral, para a aplicação da segunda dose (D2) do imunizante. 

A remesssa da AstraZeneca chegou a Porto Alegre nessa quinta-feira e a distribuição estava prevista para hoje. No entanto, devido à solicitação da pasta comandada por Marcelo Queiroga, o lote não será mais usado para avançar na vacinação de pessoas com comorbidades no Estado. 

Veja Também

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), as vacinas ficarão na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi) até o momento adequado de distribuição. Com a reserva, serão atendidas as segundas doses dos vacinados com doses da 5ª remessa, distribuída no RS em 25 de fevereiro, da 9ª remessa, distribuída em 22 de março, e da 10ª remessa, distribuída em 26 de março. Para as D2 dessas três remessas, são necessárias 233.850 doses. O lote enviado na quinta-feira ao Estado é de 243.400. A diferença, de 9.450 doses, também ficará armazenada na Ceadi.

"Quando chegar próximo ao vencimento, distribuiremos os quantitativos aos municípios para que possam atender 100% das D2 dessas três remessas", explica Tani Ranieri, chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs).

Transtorno e a mudança de estratégia 

Uma medida semelhante foi anunciada nessa quinta-feira pela prefeitura de Porto Alegre. Depois de uma quarta-feira de frustração para muitas pessoas que buscavam encerrar o calendário vacinal tomando a segunda dose da Coronavac, o prefeito Sebastião Melo confirmou a modificação da estratégia. 

De acordo com o Executivo, a partir de agora, a cidade guardará a 2° dose das vacinas da Pfizer e da Coronavac para garantir a imunização completa de quem já começou o processo de proteção. "Fomos induzidos ao erro nessa matéria. Lá atrás, o Ministério da Saúde nos recomendou não guardar a segunda dose e aplicar todas as vacinas que chegassem e por isso aconteceu o episódio de ontem onde faltou vacina na Capital, no Estado e no Brasil. Por isso, essa alteração", afirmou ontem. 

Antes, porém, Melo pediu desculpas à população porque muitos passaram horas nos pontos de vacinação e não conseguiram receber a aplicação. O estoque foi esgotado em pouco tempo, tanto que a vacinação que normalmente vai até as 17h foi encerrada no início da tarde. 

Neste sábado, o RS receberá mais um lote de Coronavac. A remessa com 63,6 mil doses está prevista para chegar ao Aeroporto Internacional Salgado Filho às 6h. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895