Senado Federal volta a ter atividades presenciais após seis meses

Senado Federal volta a ter atividades presenciais após seis meses

Última reunião aconteceu em 17 de março, quando comissão mista avaliou uma nova modalidade de contrato de trabalho

R7

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) se reúne em sistema semipresencial para sabatina de indicados para missões diplomáticas no exterior.

publicidade

O Senado Federal vai voltar a ter atividades presenciais nesta segunda-feira, após seis meses de afastamento devido à pandemia de coronavírus. Segundo a Casa, as comissões de Constituição (CCJ) e Justiça e Relações Exteriores vão sabatinar e votar nomes indicados para cargos em tribunais e embaixadas, e em seguida o Plenário tomará as decisões finais. Este tipo de votações precisam de voto secreto e, por isso, precisam ser presenciais. 

A Comissão de Relações Exteriores vai realizar 34 sabatinas com diplomatas indicados para representações brasileiras em países estrangeiros e agências internacionais. Na terça , a CCJ vai se reunir para ouvir três indicados para o Superior Tribunal Militar (STM) e uma indicada apra o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Já na sexta, os senadores participarão de uma sessão de debates sobre os desafios econômicos, sociais e ambientais do Brasil para o período pós-pandemia.

A última atividade presencial dentro do Senado aconteceu em 17 de março, quando comissão mista avaliava uma nova modalidade de contrato de trabalho. 

Segurança

As sabatinas serão online, mas as votações presenciais. Para viabilizar os trabalhos, a Comissão Diretora organizou um esquema de votação em totens eletrônicos espalhados pelo prédio. Dois deles funcionarão em formato drive-thru, no qual os parlamentares poderão votar de dentro do carro.

O Senado vai manter regras de acesso aos plenários e outros espaços para impedir aglomerações e diminuir os riscos de saúde para senadores e servidores. Ainda está vigente o ato da Presidência do Senado que restringiu o acesso e a circulação nas dependências da Casa.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895