STF torna Daniel Silveira réu por atos antidemocráticos e ameaças

STF torna Daniel Silveira réu por atos antidemocráticos e ameaças

Plenário recebeu denúncia da PGR por unanimidade contra o deputado que gravou vídeo defendendo o AI-5 contra o Supremo

R7 e Agência Brasil

Plenário recebeu denúncia da PGR por unanimidade contra o deputado que gravou vídeo defendendo o AI-5 contra o Supremo

publicidade

Após votação unânime, o Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu nesta quarta-feira, 29, denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). O parlamentar se tornou réu depois de publicar um vídeo com ameças a ministros do Supremo e pedido pelo AI-5, ato mais duro da ditadura militar contra liberdades individuais. 

Ele será julgado pelos crimes de coação no curso de processo e outros dois previstos na Lei de Segurança Nacional: incitação de animosidade entre as Forças Armadas e incitação de outros crimes para tentar impedir, com o emprego de violência ou grave ameaça, o livre exercício de qualquer dos Poderes da União ou dos Estados. 

Pelos fatos, Silveira foi preso em fevereiro, por determinação do Supremo, mas ganhou o direito de cumprir prisão domiciliar.

Durante o julgamento, o advogado Jean Cleber Farias, representante do deputado, reconheceu excessos nas declarações de Silveira, mas não concordou com utilização da Lei de Segurança Nacional para basear parte das acusações.

“Temos o dever cívico, o dever moral de pedir para que seja efetivamente delimitadas as condutas à luz do que está vigente, do que é coeso e do é correto, não a partir de inferências, de ilações e de desagrados pessoais. Se houve excessos por parte do deputado, que ele seja punido, mas dentro do que efetivamente ocorreu, não se lançando mão de uma lei odiosa”, afirmou.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895