Carazinho pode iniciar tratativas para reconstrução de prédio atingido por incêndio nesta segunda

Carazinho pode iniciar tratativas para reconstrução de prédio atingido por incêndio nesta segunda

Onze pessoas morreram por conta da tragédia

Agostinho Piovesan

Incêndio em prédio de Carazinho deixou 11 mortos

publicidade

Tudo se encaminha para que a estrutura Centro de Tratamento e Apoio a Dependentes Químicos de Carazinho (Cetrat) de Carazinho, atingido por um incêndio na noite do último dia 24, seja reconstruído por meio da união de esforços envolvendo o município e o governo federal. A presença do secretário nacional do ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Junior, um dia após a tragédia que levou à morte 11 pessoas, abriu caminho para que sejam viabilizados recursos federais na reconstrução do Cetrat, que recebia dependentes químicos de inúmeros municípios da região Norte.

Nesta segunda-feira, o prefeito Milton Schmitz, o presidente da Câmara Municipal, Daniel Weber e o presidente do Cetrat, Edilson Batista de Oliveira, deverão iniciar tratativas no sentido da viabilização da reconstrução do prédio da instituição que recebia, também, recursos federais. “O governo federal está à disposição. “Nossa ideia é estarmos à disposição para que a entidade possa seguir com o projeto que desenvolve, acolhendo e tratando pessoas que precisam”, disse Quirino Cordeiro Junior ao visitar a sede do Cetrat parcialmente consumida pelo fogo.

Cordeiro acompanhou o trabalho de organização e o recolhimento de equipamentos, mobília e objetos que ainda podem ser aproveitados. As chamas consumiram a parte de madeira do prédio de dois pisos. Na parte térrea funcionava um depósito onde eram depositadas as ferramentas e utensílios usados na horta. A produção de hortaliças era um dos projetos da comunidade terapêutica, sendo que parte da produção era consumida no local e o restante comercializado na feira que acontece todos os sábados na cidade.

Na parte superior ficavam os dormitórios, além de uma biblioteca e um outro cômodo onde eram acomodadas roupas que eram recebidas em doação. O forro da parte de alvenaria foi totalmente consumido pelas chamas, no entanto a estrutura geral da edição está conservada.

O presidente do Cetrat, Edilson Batista de Oliveira, detalhou que na parte onde funcionava o refeitório e a padaria, outro projeto profissionalizante desenvolvido no local, ação que fazia parte do tratamento dos internos. Todos os equipamentos usados na produção e demais bens que ainda podem ser utilizados foi recolhido a um depósito.

Veja Também

Identificação

O chefe da defesa civil de Carazinho, César Salles, informou que a partir de segunda-feira as famílias serão contatadas para colher material genético a fim de encaminhar a identificação dos corpos.

A Polícia Civil fará o chamamento para a realização do trabalho. As famílias serão contatadas nas suas cidades e deverão se deslocar até Carazinho. Os corpos estão provisoriamente no Cemitério Municipal, por orientação do IML e assim que foram identificados, serão liberados para as famílias realizarem os atos fúnebres.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895