Conselho de Psicologia do RS se manifesta sobre incêndio com 11 mortes em Carazinho

Conselho de Psicologia do RS se manifesta sobre incêndio com 11 mortes em Carazinho

Nota foi divulgada na tarde desta sexta-feira

Correio do Povo

Além de 11 mortos, duas pessoas foram hospitalizadas com ferimentos graves

publicidade

O Conselho de Psicologia do Rio Grande do Sul (CRPRS) se manifestou, nesta sexta-feira, sobre o incêndio que deixou 11 mortos e duas pessoas hospitalizadas em Carazinho. Na noite de ontem, as chamas atingiram o Centro de Reabilitação de Dependentes Químicos (Cetrat), situado no bairro Vila Rica. 

Na nota, a entidade afirma "preocupação" com relação às condições oferecidas por casas terapêuticas e repudiou o "crescente investimento público" nesse formato de atendimento às pessoas que fazem uso de substâncias psicoativas - álcool e outras drogas. De acordo com o conselho, o Cetrat não possui cadastro ativo. 

"O CRPRS acredita na ampliação da rede de cuidados com a implementação dos equipamentos preconizados em lei e a fiscalização do uso de verbas públicas em projetos criados pelas equipes que atuam no atendimento direto aos cidadãos, como as estruturas já existentes no Sistema Único de Saúde brasileiro", cita a nota do CRPRS.

Já o Cetrat afirmou, em nota emitida no fim desta tarde, que possui todos os registros e cadastros para funcionamento. "O que o Cetrat pode afirmar é que possui todos os registros, cadastros e reconhecimentos junto ao poder público, a saber: alvará de funcionamento; alvará do Bombeiro Militar com vigência até 14/06/2026; atestado de regularidade emitido pela prefeitura em 17/01/2022; extintores de incêndio regulares, dentro da validade e com carga para operar até 01/01/2023; entre outros."

Neste ano, o CRPRS publicou a Resolução CRPRS nº 002/2022 que estabelece critérios complementares para a análise dos pedidos, junto ao Conselho, de cadastramento e registro, enquadrados na Resolução CFP nº 13/2019, de pessoas jurídicas de Serviços de Atenção em Regime Residencial de caráter transitório e/ou clínicas e outras instituições de atendimento às pessoas em situação de uso de substâncias psicoativas - álcool e outras drogas e que realizam serviços de acolhimento, internação e similares. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895