Prefeitura de Canela autoriza concessão para a Casa de Pedra
capa

Prefeitura de Canela autoriza concessão para a Casa de Pedra

Investimento em reformas no local deve alcançar R$ 5 milhões durante o processo

Por
Halder Ramos

Depois de finalizado o processo licitatório, a revitalização da Casa de Pedra deverá ser finalizada em 18 meses

publicidade

Após um amplo debate na comunidade, a Prefeitura de Canela sancionou a lei que autoriza a concessão de uso da área da Casa de Pedra. Com isso, o órgão público vai lançar o edital para os investidores interessados em realizar as melhorias na área e administrar o espaço pelos próximos 20 anos. O investimento na reforma do prédio e em melhorias no entorno deve alcançar R$ 5 milhões durante o prazo de concessão.

Conforme o prefeito Constantino Orsolin, o Executivo não tem recursos para investir na revitalização da área e entende que não compete ao poder público a geração de lucro. Em contrapartida pelos investimentos, a empresa que vencer a licitação poderá criar atrações para explorar turisticamente o espaço. “Cabe à iniciativa privada a gestão de empreendimentos que visam o lucro. Prefeitura tem que cuidar da educação”, justifica.

• São Francisco de Paula ganha certificação do Ministério do Turismo

Depois de finalizado o processo licitatório, a revitalização deverá ser finalizada em 18 meses. A lei não dispensa o pagamento de tributos, taxas e impostos, além de todas as despesas decorrentes da concessão, e exigirá do futuro investidor pleno atendimento aos usuários, satisfazendo condições de regularidade, continuidade, eficiência, segurança, higiene e cortesia na prestação dos serviços. 

Já o teatro deverá proporcionar condições de conforto, acessibilidade e segurança, e espaço para acolher, no mínimo, 150 pessoas sentadas. Orsolin não citou nomes de empresas interessadas em assumir a gestão do espaço. No entanto, antecipou que existem tratativas para a área. “Tomara que tenhamos pelo menos 20 interessados”, almeja.

O prefeito destaca ainda que o edital determina a preservação das características originais do prédio histórico construído em meados dos anos 1940, localizado na atual avenida Osvaldo Aranha.