Sema e Fepam passarão a usar drones na fiscalização do rio Gravataí
capa

Sema e Fepam passarão a usar drones na fiscalização do rio Gravataí

Na última sexta-feira, a captação de água foi suspensa qualquer atividade que não seja abastecimento humano

Por
Correio do Povo

Na manhã desta segunda-feira, equipes Fepam e da Sema fizeram um balanço das ações dos últimos dias.

publicidade

As equipes da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) começarão a utilizar drones para monitorar o rio Gravataí e dar continuidade ao Plano de Emergência de Estiagem. Os equipamentos já são usados em fiscalizações de rotina e agora mapearão as empresas que fazem captação de água. Eles foram adquiridos com recursos do Ministério Público.

Na manhã desta segunda-feira, as equipes da Divisão de Fiscalização Ambiental da Fepam e do Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento da Sema fizeram um balanço das ações dos últimos dias e decidiram seguir com as atividades educativas aos produtores, realizando vistorias a empresas. O objetivo da ação é minimizar os impactos da estiagem e prevenir problemas de abastecimento.

Na última sexta-feira, uma portaria da Sema suspendeu as captações diretas no rio Gravataí para qualquer atividade que não seja abastecimento humano. No último final de semana, os técnicos mapearam e visitaram os principais irrigantes de lavouras licenciados, que utilizam maior volume de água. Durante a vistoria, foi constatado que nenhum deles captava água do rio desde a publicação do documento.

A medida emergencial da Sema alterou o nível do rio Gravataí de crítico para estado de atenção. As captações poderão voltar à normalidade quando o rio sair do nível de alerta.
A Bacia Hidrográfica do rio Gravataí está em permanente monitoramento e diariamente a Sala de Situação da Sema atualiza as medições nos dois pontos de referência.