Em Roma, Tereza Cristina se reúne com chineses e trabalha para eleger Qu Dongyue à FAO
capa

Em Roma, Tereza Cristina se reúne com chineses e trabalha para eleger Qu Dongyue à FAO

Ministra da Agricultura reforçou que Brasil e o país asiático têm muitos assuntos para definir dentro da pauta agrícola

Por
AE

Tereza Cristina reforça relação do Brasil com a China em relação à Agricultura

publicidade

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, já está em Roma e trabalha pela eleição do vice-ministro da Agricultura da China, Qu Dongyue, à Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). A 41ª Conferência da FAO será realizada no sábado, com eleição do novo diretor-geral no domingo. O eleito assumirá o lugar de José Graziano da Silva, que ocupa o cargo desde 2012 e vai se afastar em julho. "Só se ganha uma eleição quando se conta o último voto. Vamos trabalhar juntos", disse a ministra em nota distribuída por sua assessoria.

Nesta sexta-feira, Tereza Cristina reuniu-se com o ministro da Agricultura e Assuntos Rurais da China, Han Changfu. Conforme a pasta, o ministro Han Changfu pediu conselhos e o apoio brasileiro, principalmente para conquistar os votos da América Latina e do G7 (grupo formado por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido).

• FAO eleva para 3,7 milhões o número suínos eliminados devido a peste africana

Tereza Cristina reforçou que a eleição na FAO aumenta a cooperação entre os dois países. Segundo a ministra, Brasil e China têm muitos assuntos para definir dentro da pauta agrícola. Em maio, a ministra liderou missão à China, quando debateu a habilitação de mais frigoríficos brasileiros para exportação de carnes ao mercado chinês. 

Estão na disputa para a direção da FAO, além de Qu Dongyu, Catherine Geslain-Lanéelle, ex-diretora do Departamento de Desempenho Econômico e Ambiental de Empreendimentos do Ministério da Agricultura da França; e David Kirvalidze, que foi ministro da Agricultura da Geórgia por dois mandatos.