Reunião sobre crédito emergencial para agricultores termina com encaminhamentos, mas poucos avanços

Reunião sobre crédito emergencial para agricultores termina com encaminhamentos, mas poucos avanços

Nova reunião foi agendada para sinalizar proposta definitiva

Tais Teixeira

Reunião sobre crédito emergencial na 44ª Expointer

publicidade

A busca pela liberação de crédito emergencial para a agricultura familiar foi tema da reunião que ocorreu ontem na Casa da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. O pleito está previsto no PL 115/2021, proposto pelo deputado estadual Pepe Vargas e sete parlamentares signatários, e tem o objetivo de ajudar o setor da produção familiar que contabilizou muitas perdas após duas estiagens no Estado, prejuízos que foram acumulados às dificuldades oriundas de dois anos de pandemia. 

Segundo Pepe Vargas, houve uma reunião na Casa Civil na quarta-feira passada junto com todas as entidades vinculadas à agricultura familiar, momento em discutiram o escopo do projeto de lei e combinaram uma nova reunião na Expointer. “Apresentamos uma proposta que considera o arcabouço jurídico existente, e mostramos ao governo que com  R$ 50 milhões é possível equalizar as taxas de juros pelo Badesul”, explica. Vargas disse que, acrescenta que foi apresentada a inclusão das cooperativas de crédito como opção para usar seus recursos próprios, o que daria “sinergia ao projeto, o que necessita de alteração na lei”'. Uma nova reunião ficou agendada para o período de 22 a 24 de setembro para o governo sinalizar com uma proposta definitiva.

O coordenador da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Rio Grande do Sul (Fetraf-RS), Douglas Cenci, disse que a reunião foi positiva por apresentar uma sinalização do governo, mas relata que ficou aquém do esperado.


publicidade


publicidade


publicidade


publicidade



publicidade


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895