"Cooperar nunca foi tão importante", defende Cotrijal
CONTEÚDO PATROCINADO
Correio + Conteúdo

"Cooperar nunca foi tão importante", defende Cotrijal

Maior cooperativa agropecuária do Rio Grande do Sul se compromete com a retomada do campo após as perdas pelas chuvas

Correio do Povo

A Cotrijal doou mais de 40 toneladas em alimentos, itens de limpeza, camas e colchões

publicidade

Em maio deste ano os gaúchos foram surpreendidos com a força das águas, que arrastaram muito mais do que o concreto das casas e o solo das lavouras. As enchentes inundaram memórias queridas e infiltraram planos de futuro. Porém, a intensidade das chuvas não chegou nem perto da potência da solidariedade e da cooperação.

O povo do Rio Grande do Sul foi acolhido pelos seus próprios conterrâneos e também por outros tantos brasileiros. As cooperativas, lideradas pela Ocergs e pela OCB – as organizações que representam essas instituições no estado gaúcho e no país – demonstraram como o cooperativismo vai contribuir para a retomada. Em um primeiro momento, com doações e forças tarefas juntamente aos mais atingidos, agora com planos de ação e reivindicações junto aos governos para a criação de soluções efetivas de recuperação financeira e reconstrução.

“O produtor gaúcho precisa de ajuda. O estado vem de três safras frustradas devido a estiagem, e este ano, que teríamos uma colheita de esperança, fomos atingidos por essa tragédia. São dívidas que se acumulam ao longo dos anos, somadas agora com as perdas de nutrientes no solo e na produção, que colocam em cheque a atividade agrícola e até mesmo a permanência dos produtores no campo. É por isso que nós, enquanto Cotrijal e enquanto sistema cooperativo, estamos atuando incansavelmente para apoiar esses produtores”, destaca o presidente da Cotrijal, Nei César Manica.

No dia 6 de julho, no qual se celebra o cooperativismo neste ano, a maior cooperativa agropecuária do Rio Grande do Sul afirma que “cooperar nunca foi tão importante”. Para o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder, as cooperativas podem contribuir com o apoio necessário para a reconstrução do estado.

“O produtor rural é a razão de ser da nossa cooperativa, é por ele que a Cotrijal existe. E nós continuaremos semeando o futuro e cultivando a esperança que nasce e cresce como uma semente forte. Para que os produtores, que tanto sofreram com as últimas quebras de safra, consigam o apoio necessário para seguir sua função tão importante”, acrescenta Shcroeder.

A Cotrijal está presente em 53 municípios gaúchos e conta com mais de 16 mil associados. Em sua área de atuação, as cidades da região sul foram as mais afetadas pelas enchentes. Para o produtor rural e cooperado Cotrijal de Candelária Jeferson Kappaun, contar com o apoio da cooperativa faz toda a diferença.

“Eu só sei ser produtor, e eu vou seguir no campo pela minha família e pela história de quatro gerações que passaram por essa terra que hoje eu semeio. E saber que a Cotrijal está comigo, com assistência técnica de confiança e lutando por melhores condições para nós do campo, isso me traz tranquilidade”, afirma Kappaun.

A cooperativa incentivou colaboradores e cidadãos de sua área de atuação, colocando toda sua estrutura como pontos de arrecadação, além disso a frota de caminhões da Cotrijal foi mobilizada para a entrega das doações aos moradores de Rio Pardo, bem como no centro de distribuição da Defesa Civil em Passo Fundo e na central de doações da OCERGS em Canoas. Em sua campanha, a cooperativa agropecuária contribuiu com mais de 50 toneladas de doações, entre itens de limpeza, alimentos, água, camas e colchões.

Já com foco no produtor rural, a Cotrijal tem oferecido todo apoio e assistência técnica gratuita às propriedades afetadas. Com orientações sobre erosão e lixiviação, realização de análises de qualidade de solo e planejamento para a recuperação das lavouras, além de doações de feno e rações para a alimentação dos animais dos produtores de leite que perderam os estoques e pastagens em função da chuva.

Veja Também


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895