Agricultores ocupam Secretaria da Fazenda em Porto Alegre para cobrar medidas sobre estiagem

Agricultores ocupam Secretaria da Fazenda em Porto Alegre para cobrar medidas sobre estiagem

Auxílio emergencial de no mínimo um salário está entre as reivindicações dos produtores

Correio do Povo

Agricultores ocupam Secretaria da Fazenda em Porto Alegre para cobrar medidas sobre estiagem

publicidade

Cerca de 700 agricultores familiares e camponeses ocupam a Secretaria da Fazenda, em Porto Alegre, para cobrar do governo do Rio Grande do Sul a efetivação das medidas contra estiagem, anunciadas ainda no dia 16 de fevereiro. As principais pautas deles são a liberação de um crédito emergencial de R$ 10 mil e um auxílio emergencial de no mínimo um salário. Considerada preocupante, a seca afetou a produção agrícola e fez com que 409 dos 497 municípios decretassem situação de emergência. 

Ainda no dia 10 de janeiro, as entidades do campo dizem que apresentaram as reinvindicações dos agricultores familiares e camponeses para construir a pauta com o governo do Estado. Participam da mobilização hoje a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Rio Grande do Sul (Fetraf-RS), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), com apoio da CUT-RS.

Veja Também

Durante o dia, os agricultores familiares e camponeses seguirão em mobilização com objetivo de cobrar que ainda hoje haja o anúncio de como e de que forma chegarão as medidas anunciadas para os agricultores. "Estamos cansados de tanta enrolação e estamos fazendo mais um esforço para lembrar o governo do Estado dos compromissos assumidos com os agricultores. Esperamos que o governo efetive a liberação dos recursos para o crédito e auxílio emergencial ainda hoje", afirma o coordenador geral da Fretaf-RS, Douglas Cenci.



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895